quinta-feira, 6 de outubro de 2016

VIAGEM A LUA DE JÚPITER (2013) Quando o Sci-fi é um lixo

A ficção científica, além de entretenimento, sempre foi uma inspiração para ciência de verdade. Penso que os submarinos nucleares só existam graças as pessoas que ficaram fascinadas pelos livros de Julio Verne e que, a evolução do 3-d e holografia é obra dos fãs de strar trek; no entanto a liberdade que esse gênero confere a quem trabalha com ele, por vezes permite algumas obras que longe de inspirar fãs, fazem um desserviço a tudo que os clássicos (e as boas produções) primaram por erigir, e, isso ocorre principalmente no âmbito do cinema, que ainda é a forma mais popular de se encontrar esse tema.
Um filme destes, eu assisti recentemente, após ouvir menção sobre ele em um podcast, trata-se de "Europa Report", ou como foi traduzido no Brasil "Viagem a lua de Júpiter", de 2013, que me deixou durante horas perdido em meus pensamentos ,olhando para o horizonte, sem saber se o que eu tinha visto era um drama, uma comédia, ou simplesmente uma pegadinha do Silvio Santos.

O filme foi escrito por Philip Gelatt e dirigido por Sebastian Cordero, tendo como ator mais expressivo presente, o Sul-africano Sharlto Copley (distrito 9) e conta a história da missão Europa, a primeira expedição para o espeço profundo, onde uma nave tripulada é enviada até a Lua Europa de Júpiter (tá aí o nome do filme) para pesquisar a possibilidade de vida alienígena naquele lugar e devido a problemas técnicos terríveis e as personalidades totalmente desequilibradas de seus tripulantes vê tudo dando errado.

Brother, que filme é esse? O que posso dizer é que, se muitas vezes vemos algum jogador de futebol que mal acerta a bola, ou ator que nem decora o texto, fazendo sucesso e temos a certeza que o talento do empresário do sujeito foi que o levou até ali, o empresário desse bendito roteirista, deve ser o melhor do mundo. Só isso explica que alguém tire do bolso dez milhões de Doletas para financiar esse filme! Saca só os buracos da Trama:



No universo desse filme, a Nasa ainda não mandou ninguém a Marte, no entanto, eles resolvem mandar uma nave tripulada para Júpiter, que é quase seis vezes mais distante e tudo isso para quê? Para investigar!! OK, manda uma galerinha meio sem noção para o espaço fazer o que uma sonda robô pode fazer, até porque sonda é caro e gente nos temos mais de sete bilhões no planeta (joínha roteirista)

Nesse filme, os astronautas são as pessoas mais burras do mundo! Esquece "perdido em Marte", onde todos seguem a hierarquia e são especializados pelo menos em duas coisas, aqui ninguém parece saber de nada, o mecâncio diz o tempo todo que quer a família, o engenheiro fica emburrado e não toma banho, a bióloga tá sempre deprê e todos passam o tempo todo brigando e não seguem o protocolo de abordagem nunca e jamais,até mesmo quando a nave para de funcionar. São pessoas desequilibradas e mimadas presas em um lugar fechado, tipo um Big Brother Brasil; talvez venha daí o termo do Pedro Bial "Viajantes dessa nave louca!"...só pode.


Para dar ainda uma ideia de péssima realização, o filme é feito em formato de falso documentário, parecendo imitar o próprio "distrito 9", mas pecando pela trama rasa, personagens sem carisma e propósito idiota. Os cortes são feitos de maneira irritante e a história avança e regride a todo momento, buscando gerar um clima de suspense, mas entregando apenas frustração e mesmice. Os efeitos especiais são piores do que muitos canais de Youtube usam para produzir curtas e o desejo de transformar o a trama em um filme de terror ao final ainda me dá mais raiva.
E O final? Desculpa aí, mas precisamos falar sobre o final, e , como dizia um amigo meu, filme ruim não tem spolier, tem aviso de "proteja seu dinheiro", então lá vai:


Muito gelo e falta de noção
Depois dessa turma muito louca passar mais de um ano no espaço indo em direção a bendita Lua de Júpiter eles pousam na gelada superfície (Pois a Europa é coberta por uma camada quilométrica de gelo e recheada de água) e um de seus tripulantes diz ter avistado uma luz, logo após isso eles resolvem colocar a sonda perfuratriz para trabalhar, a fim de atingir a parte líquida do satélite (não sei quais os riscos de fazer um buraco em um contenedor hermeticamente selado em um lugar sem atmosfera, mas eles são da Nasa!), então, depois de algumas horas escavando, a sonda adentra o ambiente líquido, vemos umas luzes e SHAZAN!! a sonda perde contato (medo, terror e desespero entre a tripulação) então, um dos tripulantes tem abrilhante ideia de sair da nave para avaliar o que aconteceu e BUM!!! some... a situação começa a ficar tensa e eles resolvem fazer o que qualquer tripulação sensata faria...mandam outra pessoa atrás do desgraçado ( isso mesmo, eles estão a um ano e meio de distância do planeta terra, em uma lua congelada do maio planeta do sistema solar, sem comunicação com a terra e com uma sonda e um colega desaparecidos e mandam outra pessoa para fora bancar o detetive!!) , mas em vez de encontrar o colega, a coitada que ,na verdade se voluntariou a procura-lo, se depara com umas luzes e de repente começa a fundar no gelo até chegar na parte líquida da superfície (notar que o gelo possui uma camada quilométrica) então temos um close no rosto da moça (que está apavorada) e a câmera se desliga, assim como os sinais vitais da astronauta. A partir daí tudo descamba para o terror e teoria do Caos, é equipamento que não funciona, astronauta pirando, gelo rachando...é como se a nave tivesse sido comprada no Paraguai e os astronautas treinados nas ilhas Caimã. Então descobrimos que algo está capturando a tripulação, mas já é tarde e tudo vai pro espaço (literalmente) então, quando não há mais esperança e sobrou apenas uma pessoa, está decide abrir as comportas, onde a nave está afundando no gelo, gravar o que está acontecendo e deixar o invasor entrar para esclarecer à base, o que aconteceu e então vemos o que estava capturando os pobres e desequilibrados membros da tripulação... uma espécie de Polvo alienígena, bio luminoso e sedento por carne humana que comeu todo mundo e aparece apenas em um frame.

O filme acaba com a diretora da Nasa, responsável pela missão, chorando e falando que os membros da tripulação foram heróis e blá, blá, blá.... Mas na boa?! Está tudo muito errado!!
Para começar pela física. Uma nave espacial é fechada de uma maneira que não possa ser despressurizada, pelo motivo óbvio que isso mataria a todos lá dentro; se em um avião na terra é assim, imagina no espaço, então como as portas da nave são abertas com a piloto sentadinha e consciente e um lugar que nem mesmo tem atmosfera???
Outra coisa é que a superfície do planeta é composta por uma camada de quilômetros de gelo, no entanto, a criatura alienígena transita de boa entre a água e a superfície (superfície que não possui atmosfera e deveria suga-la para o espaço!) COMO???

tristão
Outra coisa que chamou minha atenção é que não parecia haver hierarquia entre a tripulação e nem procedimento, todo mundo fazia o que queria, tomava medidas que comprometiam os outros e a missão, era a casa da mãe Joana no espaço. O único que ficava dizendo que estava abaixo de alguém era o personagem do Charton Copley (que é o primeiro a morrer) já o resto, estava lá porque não tinha nenhum lugar legal para ir nos três anos que ficariam no espaço e a culpa, meus amigos, como sempre , é do RH... porque o RH da Nasa deixou muito a desejar com essa equipe.

Para terminar, como as imagens chegaram a Nasa, para que eles montassem esse "documentário", se a comunicação foi perdida no meio do caminho? Será que o sistema de rádio funcionava à base de água e só mandou as mensagens quando a nave afundou no gelo? Jamais saberemos.

magoado
Olha, esse foi um dos piores filmes que eu já vi. Se ele não se levasse tão a sério poderia ser uma espécie de "terrir-Sci-Fi", mas quem escreveu e dirigiu, realmente acreditava que o que a história que possuía era boa... muito triste.
A direção é parca, o roteiro tem tantos furos que poderia ser um filme em homenagem ao queijo suíço e as atuações não fraquíssimas, tanto que torci pelo monstro alienígena, os efeitos especiais parecem ter sido feitos para um jogo de mega-drive e a fotografia e montagem executadas por um cego e alguém com amnésia (respectivamente).

Recomendo que assistam esse filme em um dia que estejam se sentindo muito, mais muito mal e sem esperança. Pois vendo essa coisa e sabendo que o orçamento foi de dez milhões de dólares e mesmo mal divulgado e executado, arrecadou mais de de vezes o valor deste investimento, você saberá que tudo é possível e que também podes vencer na vida.

O mais louco é que poder da ficção científica é tão forte que nesse último Setembro, a Nasa anunciou que vapores de água foram visualizados na Lua Europa, de Júpiter, uma situação bem parecida com o que dá início a trama do filme. O que me fez pagar a língua, porque quem sabe realmente exista uma monstro comedor de gente no meio do gelo e a Nasa já até saiba disso e nesse exato momento esteja recrutando os cientistas mais idiotas do mundo para serem as cobaias dessa experiência no espaço profundo desse maravilho sistema Solar? Só nos resta agora esperar a divulgação da data da missão e aguardar que quando o documentário do que aconteceu for divulgado, ele seja dirigido pelo Ridley Scott. (queira Zeus!)



O verdadeiro herói do filme




Nenhum comentário:

Postar um comentário